Nome do projeto: Volupio
Área de negócio: T-shirts
Data: 2009

Um negócio que já passou pela cabeça da maior parte dos designers gráficos, criar uma linha de t-shirts.

Se és um designer gráfico, provavelmente já tiveste vontade de criar uma linha de t-shirts ou vestuário. Eu não fugi à regra e meti as mãos à obra…

Era uma coisa fácil para mim, criar prints, escolher uma t-shirt com qualidade, imprimir e lançar o projeto no mercado.

Foi o que fiz em 2009, criei uma linha de t-shirts baseada em provérbios portugueses, e com um toque gráfico lá sairam os primeiros prints.

Depois de fazer cerca de 30 prints, decidi fazer uma produção. Foi quando me deparei com a primeira dificuldade “o stock”. Só tinha 30 desenhos, mas com a variação de três cores da t-shirt e dos tamanhos, para ter uma unidade de cada em stock, precisava de ter 270 t-shirts para iniciar.

Ultrapassado este problema de stock a produção avançou, e decidi fazer uma loja online para vender as minhas t-shirts.

Comecei a vender algumas t-shirts a amigos, e o negócio corria bem, mas por incrível que pareça, passados 6 meses já não havia negócio. O que terá acontecido?

Mais uma vez, naquela altura não tinha a experiência suficiente, para conseguir analisar o negócio. Em primeiro lugar, não fazia a mínima ideia do que era a “gestão de stock”, eu não precisava de ter 270 t-shirts em stock, mas sim milhares… para que todo o fluxo de venda não parasse.
Cada vez que eu vendia uma, ficava sem stock, e para repor o stock tinha de fazer uma encomenda de 50 (no mínimo) ao fornecedor… Quando mais vendia, mais investimento tinha de fazer, até que um dia se tornou incomportável.

Também não fazia a mínima ideia do que era ter um negócio online. Fazer o site de venda electrónico estava ao meu alcance, e foi feito, mas promover uma loja online é um investimento que poucas pessoas tem noção. Os sites são plataformas online de acesso a qualquer pessoa, assim como outros milhares de sites que vendem a mesma coisa.
É preciso fazer chegar as pessoas ao site, é preciso criar confiança, é preciso gerar interação, é preciso criar uma comunidade, é preciso criar e gerir todas as ferramentas disponíveis, de monitorização, controlo e divulgação do site… é outro mundo, e eu não estava preparado para isso.

Mais tarde, o nome Volupio, acabou por ser utilizado para uma nova empresa de comunicação que fundei em 2013.